APPLE INOVACAO TECNOLOGIA TECNOLOGIA

A Apple está aumentando sua pesquisa e desenvolvimento para encontrar seu próximo grande produto

Em meio ao crescimento estagnado e ao declínio dos lucros, a Apple está investindo dinheiro em pesquisa e desenvolvimento.

Os lucros do terceiro trimestre da Apple vieram com boas e más notícias. O segmento de serviços da gigante de tecnologia continua a crescer de forma constante e ajudou a impulsionar o crescimento geral da receita da Apple, mas os lucros caíram mais de 12 por cento em meio à queda nas vendas do iPhone.

Embora os serviços, acessórios e produtos da Apple ainda estejam mostrando um crescimento saudável, o iPhone tem sido a sua ”vaca” do dinheiro por uma década. À medida que o mercado de smartphones estaciona e as vendas do Iphone estagnam, a Apple precisa de uma inovação tecnológica revolucionária, como a que não vimos muito durante a era Tim Cook. E a empresa sabe disso.

Portanto, não surpreende que a Apple tenha gasto uma porcentagem maior de sua receita total de vendas no terceiro trimestre em pesquisa e desenvolvimento do que em qualquer outro trimestre desde antes do lançamento do iPhone. Em geral, a Apple destinou 6,2% de sua receita de vendas em 2019 para P & D, sua maior porcentagem desde 2003.

Durante a última década, os gastos anuais em P & D da Apple aumentaram de US $ 1 bilhão em 2009 para uma projeção de mais de U$ 13 milhões em 2019. Quanto a onde todo esse dinheiro está indo, a empresa investiu em IA, carros autônomos, realidade aumentada, biometria e muito mais que nunca podemos saber a menos que um produto seja revelado.

Enquanto isso, a Apple está quadruplicando em seus negócios de serviços. O guarda-chuva crescente de receita inclui assinaturas do iCloud e da Apple Music, vendas e comissões da App Store e do iTunes, taxas da Apple Pay e serviços anunciados recentemente, como Apple News e Apple TV Channels.

No terceiro trimestre, a receita de serviços da Apple representou 21 por cento do total de vendas, alcançando um novo recorde de US $ 11,5 bilhões, subindo apenas de forma incremental em relação ao último trimestre, mas 12 por cento ao ano. Este trimestre também é a primeira vez que as vendas do iPhone caíram abaixo de 50% da receita total da Apple.

Há uma razão pela qual a Apple e outras potências tecnológicas estão reforçando seus portfólios de serviços baseados em nuvem. As margens de lucro são extremamente altas e os serviços carregam custos recorrentes de assinatura mensal, proporcionando uma receita consistente e crescente – ao contrário de um consumidor que compra um aparelho a cada poucos anos.

A receita de serviços da Apple só crescerá no próximo ano ou mais, à medida que suas maiores apostas entrarem no mercado. O Apple Card será lançado este mês, o serviço de streaming Apple TV será lançado em breve por um custo não especificado, e o Apple Arcade é o cavalo de Cupertino na indústria de jogos em nuvem 5G, competindo contra o Google Stadia, Microsoft xCloud e outros.

Quem sabe se a Apple nos surpreenderá novamente com um produto tecnológico revolucionário na escala do iPhone? Mas enquanto a empresa continua investindo mais em P & D, sua empresa de serviços está lentamente transformando a Apple não apenas em fabricante de dispositivos e software, mas também em gigante de mídia e entretenimento, prestadora de serviços financeiros, plataforma de jogos e muito mais.