Facebook para impedir mudanças nas manchetes dos anunciantes

O Facebook disse na segunda-feira que está trabalhando para impedir os anunciantes de mudar as manchetes nos links para as notícias, após preocupações levantadas pela alteração de um desses links por um partido político britânico. A principal rede social confirmou o esforço interno diante das preocupações com uma manchete da BBC alterada em um anúncio para evidentemente mudar o tom de um artigo sobre os gastos do governo britânico em educação.

“Estamos trabalhando para implementar salvaguardas até o final do ano para garantir que os editores tenham controle sobre a maneira como suas manchetes aparecem nos anúncios”, disse o Facebook em resposta a uma investigação da AFP. A nova política abordou reclamações de que os anunciantes podem modificar enganosamente o conteúdo em notícias compartilhadas na enorme rede social.

Um anúncio recente do Partido Conservador no Facebook “parece ter alterado a manchete de um artigo da BBC News sobre um anúncio de gastos com educação para fazer o governo parecer mais generoso do que está sendo”, disse a organização britânica de fatos britânicos Full Fact, em uma publicação on-line. O grupo de verificação de fatos disse que a manchete alterada era “enganosa” ao fazer o financiamento “parecer comparativamente muito maior do que realmente é”.

O Facebook e outras empresas de internet estão sob pressão para impedir que suas plataformas on-line sejam usadas para enganação ou manipulação social, principalmente em relação a questões políticas. Os anúncios que parecem criados para enganar geralmente são removidos do Facebook, mas permanecem por até sete anos na biblioteca de anúncios da rede social.

A medida vem com o Facebook agindo em várias frentes para reduzir os esforços para manipular conteúdo e opinião sobre questões políticas. As campanhas furtivas vinculadas à Rússia que usavam redes sociais online e outras plataformas foram adaptadas para influenciar os eleitores antes das eleições presidenciais de 2016 que colocaram Donald Trump na Casa Branca.

A rede social no mês passado endureceu as regras para gastos políticos com anúncios nas eleições nos EUA, principalmente ao exigir mais informações sobre quem está pagando pelas mensagens da campanha.



PROPAGANDA
PROPAGANDA