12 de janeiro de 2020




SEM CATEGORIA, TECNOLOGIA

França multa Google em US $ 166 milhões por abusar do domínio de anúncios





A autoridade de concorrência da França multou o Google em 150 milhões de euros (US $ 166 milhões) na sexta-feira por “abusar de sua posição dominante” no mercado de anúncios on-line.

A agência disse que a empresa de tecnologia dos EUA maltratou os compradores de anúncios com base em palavras-chave. Os métodos usados ​​por sua plataforma do Google Ads são “opacos e difíceis de entender”, e a empresa os aplica de “maneira desigual e arbitrária”, afirmou.

Também ordenou ao Google que esclareça as regras do Google Ads e seus procedimentos para congelar contas, para evitar suspensões “brutais e injustificadas”.

É o mais recente de uma série de multas européias contra o Google, que enfrenta muito pouca concorrência nos negócios de mecanismos de busca em todo o continente. A empresa foi atingida nos últimos anos com multas multibilionárias impostas pelas autoridades da União Europeia por casos antitruste não relacionados e também está enfrentando uma pressão crescente do regulador em outras frentes na Europa e nos EUA.

O Google afirmou em comunicado que apelaria e que suas políticas de publicidade foram projetadas para proteger os consumidores “de anúncios abusivos e exploradores”.

O caso se originou de uma denúncia que a empresa de consultoria on-line Gibmedia apresentou após o Google suspender sua conta de anúncios em 2015. Durante e após a prolongada disputa, o Google publicou anúncios semelhantes aos da Gibmedia, de acordo com a decisão, que também cita outros exemplos de empresas Google suspenso sem justificativa.

Embora afirme que o argumento do Google de proteger os consumidores é “perfeitamente legítimo”, suas regras são aplicadas de forma incoerente, com anúncios de algumas empresas permitidos e outros que vendem serviços similares suspensos, disse a autoridade.

Ele acusou a empresa de “na melhor das hipóteses, no pior oportunismo”, oferecendo inicialmente serviços aos anunciantes que considera duvidosos e depois suspendendo, apenas para aumentar os lucros.

A decisão detalha várias perguntas sobre os algoritmos de anúncios do Google que a autoridade da concorrência diz que ficaram sem resposta.