SEM CATEGORIA, TECNOLOGIA

Sob pressão, a Apple mostra a Crimeia anexada como Rússia em aplicativos

A gigante de tecnologia americana Apple cumpriu as exigências de Moscou de mostrar a Crimeia, anexada da Ucrânia em 2014, como território russo em seus aplicativos, disseram legisladores na quarta-feira.

A península do Mar Negro e suas maiores cidades de Sebastopol e Simferopol agora são exibidas como território russo nos mapas e aplicativos meteorológicos da Apple quando usados ​​na Rússia.

A Crimeia não parece fazer parte de nenhum país quando esses aplicativos são usados ​​na França.

“A Crimeia e Sevastopol agora aparecem nos dispositivos da Apple como território russo”, afirmou em comunicado a câmara baixa do parlamento, a Duma do Estado. A Rússia trata a cidade portuária naval de Savastopol como uma região separada.

Rússia e Apple estavam em negociações nos últimos meses, com o gigante dos EUA inicialmente tentando mostrar a Crimeia como território indefinido e removendo qualquer menção à Ucrânia.

A Duma do Estado divulgou uma declaração após uma reunião entre Vasily Piskaryov, presidente do comitê de segurança e anticorrupção da Duma e a representante da Apple na Rússia, Darya Yermolina.

No comunicado, Piskaryov elogiou a empresa norte-americana, afirmando ter cumprido a Constituição russa.

Ele disse que a Rússia está aberta ao “diálogo e cooperação construtiva com empresas estrangeiras “, enfatizando, no entanto, que as autoridades russas permanecerão vigilantes.

Os legisladores russos monitorarão “questões relativas à proteção da constituição russa e da soberania de nosso país contra interferências externas”, acrescentou Piskaryov.

A Apple não divulgou imediatamente um comentário na quarta-feira.

Outro gigante global da tecnologia, o Google, não identifica a Crimeia como pertencente à Rússia ou à Ucrânia em seus mapas.

No entanto, usa a grafia russa, e não ucraniana, dos nomes de lugares da Crimeia em seus mapas na Rússia, além de desenhar uma linha para mostrar a fronteira de fato que divide a Crimeia do resto da Ucrânia.

A Rússia anexou a Crimeia da Ucrânia em 2014, em uma medida condenada pela maior parte da comunidade global. A tomada da península ajudou a desencadear uma revolta separatista no leste da Ucrânia, que já matou mais de 13.000 vidas até agora.