Maternidade e HIV: como a transmissão do vírus pode ser evitada?

world-news

Muito se fala dos tratamentos disponíveis para pacientes de HIV, mas uma parcela da população ainda parece ser deixada de lado quando o assunto é a transmissão do vírus: as mulheres, em especial aquelas que desejam ser mães.

Hoje é possível ter uma gravidez segura e um filho saudável, mesmo convivendo diariamente com esse patógeno que foi uma grande fonte de preocupação no passado. Entenda a seguir como funciona o tratamento do HIV para mulheres que desejam ter filhos.

hivA terapia antirretroviral ajuda a proteger o bebê de contrair HIV (crédito: Shutterstock)

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que 1,3 milhão de mulheres e garotas com HIV engravidem todos os anos. Sem o tratamento adequado, até 45% dessas crianças podem nascer já infectadas pelo vírus.

  • Aids: a nova variante mais agressiva do HIV

A transmissão vertical (da mãe para os filhos) pode ocorrer durante a gravidez, o trabalho de parto ou amamentação. Mas ela pode ser evitada através das terapias antirretrovirais (TARV).

Cada vez mais acessíveis, elas são capazes de reduzir a carga viral do patógeno até níveis indetectáveis. Vários estudos já demonstraram que essa é também a melhor maneira de reduzir transmissão do HIV.

hivA terapia antirretroviral é uma grande conquista no combate ao HIV (Fonte: Shutterstock)

Mas apesar de 85% das mulheres e meninas do planeta terem acesso aos medicamentos, a transmissão vertical continua sendo um problema para a disseminação do vírus. Isso porque a TARV não pode ser interrompida pela paciente. Reter as pessoas infectadas sob cuidados médicos é, portanto, uma das prioridades das ações que visam eliminar a doença.

Qual a diferença entre HIV e AIDS?

O Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) é um patógeno que nosso corpo não é capaz de eliminar nem com a ajuda de medicamentos. Uma vez infectada, uma pessoa irá conviver para sempre com ele.

Apesar disso, a infecção pode ou não levar à AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida). Isso vai depender do sucesso do parasita em sequestrar nossas células saudáveis e usá-las para seu próprio propósito.

  • Leia também: cientistas descobrem porque o HIV é resistente a remédios

No passado, quando a doença ainda era desconhecida, nossos anticorpos não tinham muita chance nessa batalha. Mas hoje com os tratamentos antirretrovirais podemos vencê-los. Isso não elimina o vírus do corpo, mas deixa ele dormente e o paciente livre da doença.

hivCom o tratamento certo é possível conviver com o vírus HIV sem nunca transmiti-lo ou desenvolver a AIDS (Fonte: Shutterstock)

Mulheres com HIV podem ter filhos saudáveis?

Com os tratamentos disponíveis, uma mulher com HIV pode ter um filho livre do vírus. O primeiro passo para isso é conhecer o próprio status sorológico. Isso pode ser feito gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e com muita discrição.

Pessoas com sorologia positiva devem procurar um médico e iniciar o tratamento antirretroviral o quanto antes. Casais que desejam ter filhos podem se programar para engravidar apenas quando estiverem com o vírus indetectável.

Grávidas que convivem com o vírus e ainda não iniciaram o TARV devem procurar o atendimento médico o quanto antes para começar a receber os remédios. O uso da medicação pode reduzir as chances de o bebê nascer infectado para menos de 1%.

Como é o tratamento do HIV durante a gravidez?

Como o HIV fica dormente no corpo, o tratamento para o vírus não pode ser interrompido durante a gravidez. Pacientes da doença devem conversar com os especialistas e seguir a  prescrição indicada.

Durante o período os efeitos colaterais do tratamento podem ser particularmente preocupantes, mas é muito importante que a grávida não deixe de tomar os remédios segundo o tratamento indicado.

Alguns cuidados especiais também devem ser adotados após o parto. Mães com HIV, mesmo indetectáveis, não são aconselhadas a amamentar, pois podem transmitir - ainda que com chances baixas — o vírus pelo leite.

hivPacientes de HIV podem ter uma gravidez segura (Fonte: Shutterstock)

Para o bebê é aconselhado que receba cuidado de especialistas em HIV infantil. Existem testes que podem ser feitos logo na primeira infância para detectar a presença do vírus e medicamentos antirretrovirais que podem trazer benefícios se forem tomados sob orientação.

  • Leia também: HIV: novo tratamento experimental pode combater infecção com injeção única

A OMS tem como um dos seus objetivos erradicar a pandemia de AIDS até 2030. Eliminar a transmissão vertical é um passo importante para cumprir essa meta. Além disso, é uma forma de cuidar da autoestima e da saúde de milhares de meninas e mulheres no mundo afora.

E parte dessa responsabilidade é nossa. Saiba o seu status sorológico e inicie o tratamento — que é gratuito pelo SUS no Brasil — e use preservativos e outras formas de prevenção que julgar adequadas para você.