United atrasa novamente retorno do 737 MAX da Boeing

Pela segunda vez em cerca de um mês, a United Airlines adiou na sexta-feira a data para que suas aeronaves Boeing 737 MAX aterrissem voltem ao serviço.

A decisão segue o anúncio dos reguladores da aviação dos EUA este mês de que eles não permitirão que a aeronave retorne aos céus este ano.

O 737 MAX está no mundo há nove meses, após acidentes na Indonésia e na Etiópia que deixaram 346 mortos.

A United agora não espera que suas aeronaves MAX voem novamente antes de 4 de junho, três meses depois da data estimada anterior, resultando no cancelamento de mais de 8.000 voos adicionais.

“Continuamos a reservar automaticamente clientes afetados em vôos alternativos”, afirmou a United em comunicado, acrescentando que desde o desembarque a transportadora utilizou “aeronaves sobressalentes e outras soluções criativas” para diminuir as interrupções.

À medida que a base do MAX se arrasta, a United, juntamente com a Southwest e a American Airlines, adiaram repetidamente sua data prevista para os jatos voarem novamente.

A Boeing anunciou no início deste mês que suspenderá temporariamente a produção da aeronave para se concentrar na entrega dos cerca de 400 aviões MAX que já construiu.



PROPAGANDA
PROPAGANDA
PROPAGANDA